Pular para o conteúdo

Festas de luxo, consumo de drogas e torturas contra meninas menores de idade: ex-funcionários de Gabriel Monteiro depõe à Polícia

O vereador é alvo de uma série de denúncias levadas a efeito por seus assessores e ex-funcionários.

Informações publicadas pelo jornal O Dia indicam o teor dos depoimentos prestados pelos assessores e ex-funcionários do vereador Gabriel Monteiro (sem partido), prestados no âmbito da 42ª Delegacia de Polícia (DP), localizada em Recreio dos Bandeirantes. De acordo com a fonte mencionada, nas declarações, há menções a diversos crimes cometidos pelo parlamentar, a exemplo de abusos, consumo de substâncias ilícitas e tortura psicológica. Além disso, o valor auferido com o canal do YouTube também foi exposto, chegando à casa dos R$ 300 mil mensais.

Há denúncias, também, de que parte dos funcionários pagos com o dinheiro público trabalhariam exclusivamente para a edição dos vídeos publicados nas redes sociais do vereador e em incompatibilidade com o interesse público.

PUBLICIDADE

Relações íntimas com menores de idade

Um dos funcionários, o qual alegou aos policiais que estava afastado de suas funções por exigência psiquiátrica, alegou que Gabriel Monteiro tinha o hábito de se relacionar com garotas menores de idade, sabendo de tais circunstâncias. Além disso, costuma dizer que mulheres na casa dos 20 ou 21 anos já estavam “velhas” e, diante do grande número de adolescentes que frequentavam as suas festas, alegava que iria abrir uma “creche”, em tom de ironia.

O depoente alega, ainda, que as festas levadas a efeito na mansão do vereador eram de luxo e ao estilo “orgia”, nas quais o parlamentar se relacionava e usava substâncias entorpecentes com as menores. Além disso, em muitos casos, as meninas deixavam a residência aos prantos, com aparentes sinais de violência sexual.

PUBLICIDADE

Outro funcionário afirma que Gabriel Monteiro tinha o hábito de exibir as filmagens nas quais se relacionava com as mulheres, muitas delas com idades entre 15 e 16 anos, considerando a situação como se fossem troféus. Além disso, há indicativos da preferência do youtuber em meninas menores de idade.

Via: odia.ig.com.br

PUBLICIDADE