Pular para o conteúdo

2,6 milhões de brasileiros beneficiados irregularmente com auxílio emergencial serão cobrados por SMS

O governo determinou como serão os trâmites para que a devolução seja realizada e mensagens de texto começarão a ser enviadas.

O governo federal tem a expectativa de recuperar aos cofres públicos cerca de R$1,57 bilhão com a devolução do auxílio emergencial. A devolução será cobrada dos indivíduos que receberam o auxílio emergencial de forma irregular.

Isto é, pessoas que tiveram o CPF aprovado mesmo sem integrar os grupos aos quais o auxílio era destinado. O governo determinou como serão os trâmites para que a devolução seja realizada e mensagens de texto começarão a ser enviadas.

PUBLICIDADE

As mensagens deverão começar a ser enviadas na expectativa de que as pessoas sigam o passo a passo. No entanto, o Ministério da Cidadania também prevê o envio de mensagens “de reforço” para aqueles indivíduos que não seguirem as orientações.

De acordo com o governo federal, as mensagens vão começar a ser enviadas no próximo fim de semana, com o custo de  R$ 162 mil aos cofres públicos. O governo ainda está esperando a confirmação da lista telefônica.

PUBLICIDADE

Segundo levantamento do governo divulgado no último mês, pessoas com rendimentos acima do limite para o auxílio, com cargos públicos, militares e pessoas com CPF listado com alguma irregularidade integram a lista.

Para quem recebeu de forma irregular e não pretende devolver o dinheiro, é importante alertar que trata-se de uma infração que pode ser enquadrada criminalmente. Para devolver o dinheiro, o governo dispõe de um site próprio.

PUBLICIDADE

O governo ainda não informou novos detalhes sobre a cobrança por SMS, mas é válido lembrar: não serão enviados boletos por SMS, então fique atento a golpes. Não realize transações e não pague boletos citados em mensagens de texto.

Via: g1.globo.com